sábado, 18 de abril de 2015

Nova descoberta na Bacia do Amazonas

Leia o comunicado que divulgamos hoje sobre nova descoberta:
A Petrobras comunica a descoberta de uma nova acumulação de óleo e gás na Bacia do Amazonas, no Bloco AM-T-84.
A descoberta ocorreu durante a perfuração do poço 1-BRSA-1293-AM (nomenclatura ANP), informalmente conhecido como Jusante do Anebá. O poço foi perfurado até a profundidade final de 2.040 metros.
Os primeiros testes realizados no poço comprovaram a presença de óleo leve (de 47° API) e de gás em reservatórios arenosos, que se distribuem no intervalo entre as profundidades de 1.350 e 1.900m.
A Petrobras é a operadora da concessão (60%), em parceria com a Petrogal Brasil (40%).
O consórcio dará continuidade aos trabalhos de avaliação dos reservatórios portadores de óleo e gás, por meio de teste de formação a poço revestido. Fonte: Petrobras.
Blog da Dilma no Facebook: https://www.facebook.com/BlogDilmaRousseff

Facebook anunciou que voltou atrás e desbloqueou a foto de índia com seios expostos

A foto de 1909, feita por Walter Garbe, foi colocada na página do MinC no Facebook na quarta-feira (15), por volta das 15h, em notícia sobre o lançamento do Portal Brasiliana Fotográfica. Horas depois o Facebook a retirou do ar alegando que ia contra políticas internas. Segundo o ministério, ao tomar conhecimento do bloqueio da fotografia na manhã de quinta-feira (16), o MinC entrou em contato com o Facebook, alertando para a ilegalidade e solicitando o imediato desbloqueio da fotografia. O facebook anunciou na noite de sexta-feira (17) que voltou atrás e desbloqueou a foto de índia com seios expostos no perfil do Ministério da Cultura (MinC) na rede social.
Blog da Dilma no Facebook: https://www.facebook.com/BlogDilmaRousseff

Caso Verônica Bolina

Caso Verônica Bolina: Comissão de Direitos Humanos faz pedido de esclarecimentos ao Governador Geraldo Alckmin
 A Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados encaminhou, nesta quinta-feira (16), pedido de informações ao Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e ao Procurador-Geral do Ministério Público-SP, Márcio Fernando Elias Rosa, sobre o abuso de autoridade cometido por policias contra a travesti Verônica Bolina. No último dia 12, Verônica foi presa e levada ao 2º Distrito Policial, no Bom Retiro. A vítima foi espancada, teve seus cabelos cortados e foi humilhada, tendo seios e nádegas expostos.
Em ofício, o Presidente da CDHM, deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS), informou que a Comissão instaurou procedimento para acompanhar os crimes de tortura, agressão, racismo e homofobia, entre outros, praticados pelas autoridades policiais contra Verônica Bolina. Pimenta também requereu informações sobre as providências adotadas pelo governo Geraldo Alckmin e pelo Ministério Público de São Paulo para “rigorosa apuração do ocorrido, com vistas à punição exemplar dos culpados”.

Dilma parabeniza estudante que será primeiro brasileiro civil a ir ao espaço

A presidenta Dilma Rousseff parabenizou nesta sexta-feira (17), por meio de sua conta no Twitter, o estudante Pedro Nehme, pela conquista de ser o primeiro brasileiro civil a ir ao espaço, ainda neste ano.
Pedro, de 23 anos, é estudante de Engenharia Elétrica da Universidade de Brasília (UnB) e bolsista da Agência Espacial Brasileira (AEB/MCTI), estagiou na Nasa e, conforme destacou a presidenta em sua mensagem, foi da primeira turma do Ciência sem Fronteiras.
Nehme foi selecionado após vencer um concurso com outros 129 mil concorrentes de todo o mundo e fará um voo suborbital. Ele terá a missão de levar ao espaço um experimento, selecionado pela AEB, capaz de avaliar os diversos aspectos fisiológicos relacionados à exposição do corpo humano ao ambiente de microgravidade e hipergravidade, decorrentes de um voo suborbital tripulado.

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Aécio não tem moral para pedir impeachment, diz Carvalho

São Paulo - O ex-ministro da Secretaria-geral da Presidência da República Gilberto Carvalho (PT) disse na noite desta quinta-feira, 16, que o senador Aécio Neves e o PSDB fazem demagogia ao se aproximarem dos movimentos que protestam contra o governo Dilma Rousseff.
Ele afirmou ainda que Aécio "não tem moral" para pedir o impeachment da presidente.
"O PSDB está correndo atrás do apoio das massas. Isso é demagogia. É tentar fazer agora uma sintonia com as ruas que eles não tiveram e agora oportunisticamente tentam ter. Ele (Aécio) devia pensar no que ele fez em Minas Gerais e a maneira como o Fernando (Pimentel, governador pelo PT) encontrou Minas Gerais, aquele desgoverno absurdo", disse Carvalho. "Ele (Aécio) não tem moral nenhuma para falar isso, ele tem que aceitar a derrota que ele sofreu - ele foi um honroso candidato, tudo bem - mas não posso levar a sério, sinceramente acho que isso é uma apelação que não merece consideração", completou.
O PSDB, liderado por Aécio Neves, junto a outros partidos de oposição, estuda fatos para respaldar um eventual pedido de afastamento de Dilma.
Entre esses fatos estão a responsabilidade da presidente por crimes fiscais em função das chamadas "pedaladas" - que foram aportes de bancos públicos para fechar as contas da União; o uso irregular dos Correios nas eleições; e a acusação de que a Controladoria-Geral da União (CGU) segurou informações sobre irregularidades na Petrobras para serem apuradas apenas após o pleito do ano passado.

A batalha da comunicação e as perspectivas para o segundo mandato

Por Rennan Martins | Vila Velha
As últimas eleições e o clima político ainda deflagrado no país evidenciam o quanto a comunicação é crucial para o desenrolar saudável de uma democracia. A atuação cartelizada e o comportamento partidário da imprensa corporativa brasileira produz sérias distorções que num ambiente extremado dá espaço a soluções antidemocráticas e desrespeitosas ao Estado de direito tão duramente conquistado no fim do século passado.
A renovação ocorrida no Ministério das Comunicações e na Secretaria de Comunicação da Presidência abre a possibilidade de uma discussão sobre mudanças na política governamental que visem fortalecer o debate plural na sociedade. O tema é urgente dada a ofensiva da grande mídia que impõe sua agenda e quer a garantia de que as verbas publicitárias estatais serão somente suas ad infinitum.
Para abordar com propriedade esse debate o Blog dos Desenvolvimentistas entrevistou Beto Almeida, jornalista e conselheiro da rede de TV multi-estatal Telesur. Beto constata um ambiente desfavorável para regulamentação entre os parlamentares. Indica medidas executivas, que independem dos congressistas, com potencial de democratizar a imprensa e questiona arduamente qual a razão do PT não possuir um jornal de massas.
Confira a íntegra:
O atual ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini, assumiu a pasta com o entusiasmo dos movimentos sociais. Até agora sua gestão correspondeu as expectativas? Qual é a linha de atuação do ministro?

50 anos da Globo: Vamos descomemorar!

Manifesto
A TV Globo festejará os seus 50 anos de existência no dia 26 de abril. Serão promovidos megaeventos e lançados vários produtos comemorativos. No mesmo período, porém, muita gente está disposta a promover a “descomemoração” do aniversário do império global, um ato de repúdio ao papel nocivo desse grupo de mídia na história do país. Uma palavra-de-ordem que se destaca em todo o Brasil em manifestações recentes é: “O povo não é bobo. Fora Rede Globo”. E motivos não faltam para esta revolta.
A emissora é filha bastarda do golpe militar de 1964. O então diretor do jornal “O Globo” Roberto Marinho foi um dos principais incentivadores da deposição do presidente João Goulart, dando sustentação ideológica à ação das Forças Armadas. Um ano depois, foi fundada a sua emissora de televisão, que ganhou as graças dos ditadores. O império foi construído com incentivos públicos, isenções fiscais e outras mutretas. Os concorrentes no setor foram alijados, apesar do falso discurso global sobre o livre mercado.
Nascida da costela da ditadura, a TV Globo tem um DNA golpista. Apoiou abertamente as prisões, torturas e assassinatos de inúmeros lutadores patriotas e democratas que combateram o regime autoritário. Fez de tudo para salvar o regime dos ditadores, inclusive omitindo a jornada das Diretas Já na década de 80. Com a democratização do país, ela atuou para eleger seus candidatos – os falsos “caçadores de marajás” e os convertidos “príncipes neoliberais”. Na fase recente, a TV Globo militou contra toda e qualquer avanço mais progressista, atuando na desestabilização dos governos que não rezam integralmente a sua cartilha. Nas marchas de março desse ano, ela ajudou a mobilizar o anseio golpista e garantiu a ele todos seus holofotes.
A revolta contra a Globo que ganha corpo está ligada também à postura sempre autoritária diante dos movimentos sociais brasileiros. As lutas dos trabalhadores ou não são notícia na telinha ou são duramente criminalizadas. A emissora nunca escondeu o seu ódio ao sindicalismo, às lutas da juventude, aos movimentos dos sem-terra e dos sem-teto. Através da sua programação, não é nada raro ver a naturalização e o reforço ao ódio e ao preconceito. Esse clima de controle e censura oprime jornalistas, radialistas e demais trabalhadores da empresa, que são subjugados por uma linha editorial que impede, na prática, o exercício do bom jornalismo, servidor do interesse público, em vez da submissão à ânsia de poder de grupos privados.

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Contra o PSDB, não existe punição

Contra o PSDB, não existe punição. Acusado 33 vezes de apropriação e desvio de recursos públicos, Barros Munhoz é benefiado pel prescrição. O desembargador Armando Sérgio Prado de Toledo, que aparece do lado esquerdo do tucano na foto, é suspeito de haver retardado a sentença para beneficiar o parlamentar.
Blog da Dilma no Facebook: https://www.facebook.com/BlogDilmaRousseff

Vídeo:


Plano Nacional de Exportação será lançado nos próximos dias, anuncia Armando Monteiro

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro, anunciou, nesta quarta-feira (15), que o governo lançará nos próximos dias o Plano Nacional de Exportação, um conjunto de medidas para estimular e desburocratizar as exportações do País. A informação foi dada após uma reunião do Conselho Consultivo do Setor Privado (Conex), no Palácio do Planalto, que contou com a presença da presidenta Dilma Rousseff.
Segundo o ministro, na reunião do Conex, a presidenta reafirmou seu compromisso de conferir um novo status à área de comércio exterior no País. O Plano Nacional de Exportação tem como meta atingir cerca de 30 países considerados “estratégicos” para as exportações brasileiras.
Ele destacou ainda que pelo menos 80% dos setores de exportação brasileiros foram consultados para a definição das linhas atuação do plano, que também envolveu uma intensa articulação com órgãos de governo.
Plano conta com apoio do setor privado
Durante entrevista coletiva à imprensa, Monteiro enfatizou que o Plano Nacional de Exportação é resultado de uma forte interlocução com o setor privado e visa fortalecer a inserção comercial do Brasil no cenário internacional.
“As premissas desse plano foram validadas com forte representação do setor privado, que, evidentemente, é quem exporta no País. Essa interlocução com o setor privado é fundamental para o êxito do programa e, sobretudo, para esse objetivo estratégico de fortalecer a inserção internacional do Brasil”, afirmou Armando Monteiro, logo após a reunião que reinstalou o Conex. O órgão de consulta é ligado à Câmara de Comércio Exterior (Camex), que formula as políticas do governo para o setor.

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Em entrevista a blogueiros, Dilma explica o ajuste fiscal

Em entrevista a blogueiros, Dilma explica o ajuste fiscal
Confira a primeira parte da entrevista concedida na manhã desta terça-feira (14) pela presidenta Dilma Roussef a blogueiros. Neste trecho, ela dá sua visão sobre a situação da economia brasileira e fala sobre o contexto que leva às medidas de ajuste fiscal
Por Redação
Na manhã desta terça-feira (14), a presidenta Dilma Rousseff concedeu entrevista de aproximadamente uma hora e meia a seis blogueiros.  Estiveram presentes na coletiva Altamiro Borges, do Centro Barão de Itararé; Cynara Menezes, do Socialista Morena; Luis Nassif, do Jornal GGN; Maria Inês Nassif, da Carta Maior; Paulo Moreira Leite, do Brasil 247, e Renato Rovai, do Blog do Rovai e revista Fórum.
Confira abaixo a primeira parte da entrevista, na qual a presidenta fala sobre a situação econômica do país e defende a necessidade do ajuste fiscal.
Situação econômica
Deixa eu falar mais ou menos como estamos vendo essa situação. O que aconteceu em relação ao governo? Nós, desde o final do governo Lula, fizemos uma política anticíclica muito forte, que começa no final de 2009 e entra em 2010. Mas quando chega em 2011, temos algumas situações em que os efeitos das políticas monetárias dos países desenvolvidos levam a uma desvalorização muito grande do dólar e a uma valorização de todas as moedas. Aí, nós notamos uma situação de grande estresse sobre a indústria no Brasil, baseado em um câmbio de 1 por 1,5. Este câmbio não era fruto de nenhuma manipulação nossa, pelo contrário, a gente tentou de várias maneiras impedir que os efeitos atingissem a gente nessa dimensão.

Governo anuncia medida para desburocratizar aposentadoria rural

O ministro do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias, afirmou que o governo enviará proposta ao Congresso para simplificar o processo de aposentadoria dos trabalhadores rurais. A medida foi anunciada pela presidenta Dilma em reunião com os representantes da Confederação Nacional dos Trabalhadores da Agricultura (Contag), nesta quarta-feira (15), no Palácio do Planalto.
“É uma questão de desburocratização. [Ao] trabalhador rural, para se aposentar, se exigia um grande número de documentos. Com o processo de informatização, o histórico da pessoa estará devidamente registrado e a aposentadoria se dará nos mesmos moldes em que se faz com trabalhadores urbanos”, explicou o ministro em coletiva de imprensa. A medida prevê que o cadastramento rural que já é feito pela Previdência Social seja suficiente para comprovação do tempo de atividade do trabalhador para fins de aposentadoria, diminuindo a exigência de outros documentos.
O presidente da Contag, Alberto Ercílio Broch, comemorou a medida da presidenta Dilma. “Enquanto ela ouvia nossa pauta, ela se adiantou e fez o anúncio muitíssimo importante para os trabalhadores rurais brasileiros”, disse. “Hoje, os agricultores têm de comprovar os seus últimos 15 anos de atividade. É um saco de documentos. Documentos e mais documentos, burocracia e mais burocracia. Nesse imenso Brasil, lá atrás do morro, não tem documento. Esta é uma grande conquista”, completou ele.
O ministro disse ainda que “a presidenta deixou claro que é uma agenda de governo”. Dilma o designou, junto com o ministro Miguel Rossetto, da Secretaria Geral, para acompanhar as demandas apresentadas pelos trabalhadores rurais junto aos demais ministérios envolvidos, uma vez que algumas delas são intersetoriais, como o atendimento à população rural pelo Pronatec e pelo Minha Casa, Minha Vida.

terça-feira, 14 de abril de 2015

Carsughi é demitido da Pan e critica postura “de direita” da rádio

O comentarista esportivo Claudio Carsughi, 82, foi demitido nesta segunda-feira da rádio Jovem Pan de São Paulo, após mais de 50 anos de casa. Carsughi trabalhou na rádio em dois períodos: entre 1957 e 1960 e entre 1963 até hoje. Entre 1960 e 1963 esteve na rádio Bandeirantes.
“A rádio está passando por uma mudança de perfil. Ela assumiu uma postura de direita, que nunca tinha tido. Sempre se ouvia os dois lados. Hoje tem uma posição frontalmente contrária ao PT, à Dilma, ao Lula. Talvez com isso espere o retorno publicitário com empresas do mesmo perfil'', disse o comentarista.
Segundo Carsughi, a demissão foi anunciada por Wanderley Nogueira, diretor de esportes da rádio. “Foi uma conversa franca. Ele me disse que estava muito chateado, sem jeito para dar a notícia, mas que o Tutinha (neto de Paulo Machado de Carvalho) tinha decidido demitir-me. São contingências da vida. Falam em redução de custos. Mas isso é relativo. Eu não tinha um ordenado nababesco. Para o orçamento da rádio não deve fazer muita diferença'', diz ele.
Carsughi admite que nos últimos anos, a equipe esportiva, base da rádio ao lado do noticiário geral, vinha perdendo espaço. “Deixamos de fazer a Fórmula 1. As nossas equipes raramente se fazem presentes nos estádios. Quando estão, só aqui em São Paulo. Mesmo assim, muitas vezes vai só um repórter, para não pagar o técnico (de som)'', diz.
Ele afirma que a rádio passa por uma mudança de conceito e que Tuta, filho de Paulo Machado de Carvalho, largou a emissora na mão dos filhos. “É um ambiente diferente. O caminho é outro. Com o Tuta, nosso acordo era selado em um aperto de mão. Hoje é um processo muito mais burocrático. Jamais teria sido mandado embora se ele estivesse no comando da rádio''.
Carsughi lembra que quando deixou a Jovem Pan para ir para a Bandeirantes, em 1960, voltou um profissional bem mais completo. “Fui chamado de volta para ganhar o triplo'', diz ele. Pela Jovem Pan, cobriu cinco Copas do Mundo consecutivas, entre 1970 e 1986. Em 1990, lembra que foi por sua conta, já que o Mundial foi disputado na Itália, sua terra natal.
VAGNER MAGALHÃES
DO UOL, EM SÃO PAULO
Blog da Dilma no Facebook: https://www.facebook.com/BlogDilmaRousseff

Carta de BH: "Regula a mídia, Já!"

Do site do FNDC:
Com a participação ativa de 682 inscritos, o 2º Encontro Nacional pelo Direito à Comunicação (ENDC) aprovou, na tarde deste domingo (12/4), a Carta de Belo Horizonte. O documento reafirma a luta pela democratização da comunicação como pauta aglutinadora e transversal, além de conclamar as entidades e ativisitas a unirem forças para pressionar o governo a abrir diálogo com a sociecidade sobre a necessidade de regular democraticamente o setor de comunicação do país.
Rosane Bertotti, coordenadora geral do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC), comemorou o resultado do evento, que reuniu ativistas, estudantes, militantes, jornalistas, estudiosos e pesquisadores da comunicação, representantes de entidades e coletivos e autônomos de todo o Brasil. "Nosso encontro mostrou que a luta por uma comunicação democrática, inclusiva, plural está mais ativa e é mais necessária do que nunca. E mais do que isso, que os movimentos estão dispostos a cobrar do governo que paute essa questão a coloque na agenda dos debates estratégicos para o país".

domingo, 12 de abril de 2015

Dilma anuncia ida aos EUA e indica que crise de espionagem foi superada

Monica Yanakiew - Enviada Especial da Agência Brasil/EBC Edição: Lana Cristina
A presidenta Dilma Rousseff viajará aos Estados Unidos no dia 30 de junho para uma visita de trabalho que marca a retomada da relação entre os dois países, abalada pelo escândalo de espionagem de 2013.
A revelação de que a Agência Nacional de Segurança (NSA) havia espionado as comunicações de Dilma e da Petrobras levaram a presidenta a cancelar o encontro de outubro de 2013, marcado com o presidente norte-americano, Barack Obama, em Washington. No final da 7ª Cúpula das Américas, neste sábado (11), Dilma e Obama tiveram uma reunião e deram a crise por superada.
“O governo americano disse que os países irmãos não seriam espionados”, disse Dilma Rousseff, em entrevista após o encontro com Obama. “E Obama falou para mim que, quando ele quiser saber qualquer coisa, ele liga para mim. Eu não só atendo como fico muito feliz.”
Segundo Dilma, ao Brasil interessa discutir a cooperação nas áreas de educação, defesa, aeronáutica e comércio, além da adoção de políticas para desenvolver energia limpa e combater os efeitos das mudanças climáticas que este ano castigaram vários países – inclusive os Estados Unidos, “que viveram o pior inverno da história” e o Brasil, atingido pela seca na Região Sudeste.
“Precisamos assumir a responsabilidade de liderar esse processo”, destacou Dilma, referindo-se à necessidade de coordenar políticas entre a Índia, China, União Europeia, os Estados Unidos e o Brasil, para garantir o sucesso da Conferência do Clima, que será realizada em dezembro em Paris.
O Brasil e os Estados Unidos também poderiam cooperar no desenvolvimento de energia limpa. "O Brasil avançou muito na energia eólica, mas não na energia solar, que é cara”, disse a presidenta.
“O Brasil é, obviamente, não apenas um dos países mais importantes do hemisfério, mas um líder muito importante. Então, eu espero com muita satisfação por esse encontro em que vamos discutir temas como mudança climática, energia, educação, ciência e tecnologia”, disse Obama, antes do encontro com Dilma.

Dilma Rousseff anuncia visita de governo aos Estados Unidos no mês de junho


quarta-feira, 25 de março de 2015

1º de abril - Ato contra a Rede Globo

Vem aí: Grande ato pela cassação da concessão da Rede Globo. Quarta, 1º de abril, às 17h, em frente à sede da emissora em todo o Brasil. Apoio do Blog da Dilma: http://www.blogdadilma.com/

Governo vai analisar contratos para impedir abusos no Fies

Em entrevista coletiva nesta terça-feira (24), no Palácio do Planalto, o ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, afirmou que o governo identificou abusos no reajuste das mensalidades repassadas aos estudantes inseridos no Programa de Financiamento Estudantil (Fies). Segundo Mercadante, o governo vai analisar “contrato por contrato” para impedir que o aluno pague um valor excessivo ao fim do financiamento.
“É responsabilidade do Estado defender o consumidor, defender o estudante, e buscar um bom entendimento em relação a essa questão. Por isso que hoje a renovação do contrato possui limite de aumento do financiamento, que é a inflação acumulada no ano. O que está acima disso vai ter que ser rediscutido”, pontuou o ministro.
Para isso, o governo aplicou medidas existentes em outros programas educacionais, como nota mínima no ENEM, cadastro único de alunos e coordenação das matrículas pelo Ministério da Educação.
“A meritocracia que vai estabelecer o acesso ao FIES. O aluno tem que ter no mínimo 450 pontos no ENEM, e já é assim no ProUni.  Então os melhores alunos terão prioridade no financiamento. Há outros critérios, como renda, qualidade dos cursos, etc”, disse. Segundo Mercadante, 1,2 milhão de alunos já refizeram seu financiamento.
Blog da Dilma no Facebook: https://www.facebook.com/BlogDilmaRousseff

terça-feira, 24 de março de 2015

Tarso Genro: Quem é populista?

Tenho procurado me preservar de debater, neste momento, por razões diferentes, tanto o Governo Sartori, como o segundo Governo Dilma. Assim como os governantes, que iniciam os seus governos, entendo que – a menos que surja alguma questão de princípio - os governantes que saem, também devem ter um certo "período de graça". Ontem, porém, sem ofender ninguém, ou fazer críticas a alguém, não me contive e tuitei que estava feliz com a decisão do Tribunal de Justiça, sobre a constitucionalidade do novo Mínimo Regional, de R$ 1006,88. É um valor que não é elevado, mas que melhora a alimentação de mais de 1,5 milhão de famílias trabalhadoras gaúchas: crianças, jovens, idosos, que poderão comer um pouco melhor.
Hoje me deparo com um odioso editorial do jornal Zero Hora, que me acusa de tentar "então na chefia de governo, antes de abandonar o poder, submeter ao parlamento uma proposta nitidamente populista". Quero sustentar, neste pequeno texto, que "populista" é o editorial de ZH, além de falso e preconceituoso.
Vejamos. Falso, porque omite – como reconhece na notícia que divulga, na mesma edição na página 11 – que no final do meu governo, apenas recuperei a mesma posição do Salário Mínimo Regional de 2001, que veio, paulatinamente, sendo achatado pelos governos que sucederam Olívio Dutra. Tal recuperação eu propusera de forma transparente, no meu Programa de Governo e defendido esta posição, inclusive perante a própria Federasul, nos debates que precederam a minha eleição. Falso, também, porque ao contrário do que diz o editorial, não "tentei" submeter o parlamento. Eu "remeti" ao parlamento um projeto, de acordo com as minhas prerrogativas constitucionais, que foi apreciado de forma regular por aquela instituição.
Preconceituoso. O editorial é preconceituoso contra os pobres porque qualifica a minha proposta como "populista". Com esta definição, o honorável periódico desconhece a elementar definição, na Teoria Política, do verdadeiro significado deste tipo de ação partidária ou estatal, que, de um lado, busca prescindir das instituições regulares do Estado para promover os seus atos e, de outro, procura instrumentalizar as instituições para conter os ímpetos de transformação radical, que possa vir dos pobres e explorados. O populismo considera o povo uma "massa informe", manipulável pelo poder: o povo considerado como "agregado social homogêneo", sempre depositário de valores positivos e permanentes, acima e afora das classes sociais. O povo como objeto manipulável, não as classes como sujeitos.

Beto Richa (PSDB), está no centro de um escândalo de corrupção

O governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), está no centro de um escândalo de corrupção que causou prejuízo de mais de R$ 500 milhões aos combalidos cofres públicos do Estado.
Desde janeiro, mais de 20 pessoas foram presas pelo Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) em operações contra corrupção na Receita Estadual de Londrina, fraude em licitação e exploração sexual. Entre os presos estavam — até ontem — pessoas do círculo íntimo do governador, entre eles o primo de Beto Richa, Luiz Abi Antoun.
Empresário e lobista, Luiz Abi foi preso na semana passada sob acusação de ser o cabeça de um esquema de fraude em licitação realizada em dezembro para o conserto de automóveis do governo estadual. Segundo o Ministério Público, a empresa de Abi, que levou R$ 1,5 milhão na licitação, superfaturava o valor dos serviços e peças.
Abi é conhecido no Paraná como um discreto e influente operador do governador. Prova de seu poder é uma grande lista de indicados no primeiro escalão do governo paranaense, nas estatais Copel, Sanepar, Celepar e Sercomtel – onde sua esposa é vice-presidente –, e demais órgãos, como a Secretaria de Administração e Secretaria da Fazenda, especialmente na Receita Estadual.
A influência de Luiz Abi na Receita Estadual não é coincidência. Segundo o MP, além da fraude em licitação, o primo do governador tucano é o “lastro político” de um grande esquema de corrupção dentro da Delegacia Receita Estadual de Londrina.