quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Petrobras: superação

PETROBRAS: Desde o começo a nossa história está repleta de superação. Chegamos a importantes conquistas porque superamos obstáculos década após década. Hoje os desafios são outros. Acesse www.petrobras.com.br/superacao e confira o que já estamos fazendo para aprimorar nossa governança e ampliar nosso desempenho operacional.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Rede Globo em decadência

Notícia maravilhosa: A Rede Globo que apoiou a Ditadura Militar, e cresceu as custas do Governo Federal, vem caindo pelas tabelas em termos de audiência. É o preço da manipulação, da mentira jornalítica, que o povo já cansou, e percebeu mudando de canal. Arriégua macho!
A TV Globo perdeu 5% de audiência em 2014, caindo de 14,3 pontos, em 2013, para 13,5 pontos, no ano passado, entre 7h e meia-noite. Os dados do Ibope são da medição na Grande São Paulo. É o pior desempenho anual, desde que virou líder de audiência, há 45 anos.
Na contramão, cresceu a participação da TV paga e dos pequenos canais regionais, que cresceram de 6,7 pontos em 2013 para 8,6 em 2014.
Os números repetem a tendência dos últimos dez anos. Enquanto, de 2004 para cá, a Globo registrou uma queda de 38% na audiência, caindo de 21,7 para 13,5, a TV paga e os canais regionais cresceram 260%, saltando de 2,4 pontos para 8,6 na Grande São Paulo.
Em 2014, o crescimento da Record foi tímido, subindo de 6,1 para 6,2, número que a emissora tinha em 2012. O SBT fechou o ano com 5,6, frente a 5,3 em 2013. Já a Band caiu de 2,5 pontos em 2014 para 2,4 pontos em 2013.
A Record teve crescimento de 50% de 2004 para cá, saindo de 4,2 para 6,2. O pico da emissora do bispo Edir Macedo foi em 2008, com 8,3 pontos.
Nesses dez anos, o SBT perdeu 33% de sua audiência, numa queda de 8,4 para 5,6 pontos.
Por Lauro Jardim

#WebFor2014, em Fortaleza, dias 23 e 24 de maio

Venha debater a democratização da mídia e outros temas no ‪#‎WebFor2014‬, em Fortaleza, dias 23 e 24 de maio(sábado e domingo), inscrição gratuita pelo e-mail: webfor2015@gmail.com. Convide e compartilhe entre seus amigos: https://www.facebook.com/events/820806711315267/?fref=ts

domingo, 25 de janeiro de 2015

As recomendações de Samuel Pinheiro

Secretário-geral do Itamaraty no governo Lula, Pinheiro diz que Dilma Rousseff deveria participar mais das relações exteriores brasileiras
por André Barrocal - CartaCapital:
Secretário-geral do Itamaraty sob Lula, Samuel Pinheiro Guimarães foi um dos responsáveis pelo protagonismo internacional conquistado pela chancelaria brasileira na década passada. Até hoje é referência para os diplomatas jovens, compostos de uma maioria que ingressou na carreira graças às verbas e aos concursos negociados por Guimarães com o Planalto e a equipe econômica. Depois da primeira gestão de Dilma Rousseff, o embaixador não tem dúvidas sobre a raiz das turbulências no Ministério das Relações Exteriores: “Falta uma participação pessoal maior da presidenta”.
Ao envolver-se pouco com política externa, Dilma gera consequências dentro e fora do Brasil. Diante da sensação de desprestígio que tomou conta de uma das maiores chancelarias do mundo, é compreensível, diz Guimarães, o engajamento de diplomatas nas campanhas de Aécio Neves e Marina Silva. “O Itamaraty não é uma ONG que dá palpite. É um órgão de ação política da Presidência.”
No primeiro mandato, a presidenta negou-se a atender ligações do seu colega do Equador, Rafael Correa, durante ao menos seis meses, situação capaz de complicar outro chefe de Estado. “Esses telefonemas são feitos por assessores, eles veem a dificuldade do presidente de ser atendido e começam a pensar que ele está sem prestígio no maior país da região. E aí podem correr comentários.”
Sem a retração do Itamaraty, o Brasil talvez tivesse lidado melhor com a crise econômica global. No ano passado, o País registrou seu primeiro déficit comercial do século, de 3,9 bilhões de dólares. “Quem promoveu o Brasil no exterior no governo Lula foi o Itamaraty, não a Agência Brasileira de Promoção de Exportações”, afirma Guimarães.

Com Mauro Vieira, Dilma tenta apaziguar o Itamaraty

O novo ministro das Relações Exteriores tem a missão de conter um corpo diplomático insurgente e militante da oposição
por André Barrocal - CartaCapital:
Dilma Rousseff encarou a altitude de La Paz na quinta-feira 22 para participar da terceira posse do presidente da Bolívia, o líder indígena Evo Morales. A decisão enterrou qualquer chance de uma viagem aos Alpes suíços, onde no mesmo dia acontecia outro fórum anual de Davos, convescote da nata econômica global. Uma opção ilustrativa da política externa iniciada em 2003, a priorizar a América do Sul e os emergentes. Até aqui, a petista seguiu todos os rumos do antecessor, embora com menos ênfase. A falta de entusiasmo pelo tema obrigou-a, porém, a nomear no segundo mandato outro chanceler, Mauro Vieira, embaixador nos Estados Unidos desde 2010. O motivo? Tentar acalmar um corpo diplomático insurgente e militante da oposição na recente eleição.
O moral no Itamaraty desabou nos últimos anos, sobretudo entre os mais jovens. O quadro de funcionários subiu de mil para cerca de 1,5 mil diplomatas na era Lula e tornou-se um das maiores no mundo, mas parece ter se tornado irrelevante. A presidenta teve menos contato com líderes estrangeiros, viajou pouco, ignorou a assinatura de acordos bilaterais, não levou muito a sério certos protocolos, a ponto de desmarcar em cima da hora audiências com chefes de Estado, como aconteceu com um líder africano. Em 2012, durante uma formatura no Instituto Rio Branco, escola de formação de diplomatas, defendeu que “o Itamaraty tenha engenheiros”, discurso recebido como tecnocrata demais e inspirador de menos.
Os dois primeiros chanceleres de Dilma Rousseff, Antonio Patriota e Luiz Alberto Figueiredo, contribuíram para criar uma espécie de “tempestade perfeita” no Itamaraty, segundo um diplomata, em meio a um quadro de desaceleração econômica dentro e fora do País que atrapalhou a atração de investimentos e importadores. Eles não tinham força perante a mandatária. E foram inábeis com a corporação, minando a própria autoridade.

Obras do metrô, da Sabesp e do Rodoanel estão na mira do MP

Os contratos apareceram na planilha apreendida na casa do doleiro Alberto Youssef
por Fabio Serapião - CartaCapital:
Alvo de uma série de processos e inquéritos para apurar a atuação de um cartel de empresas em suas licitações, o Metrô de São Paulo entrou na mira dos promotores paulistas após aparecer em uma planilha apreendida na casa de Alberto Youssef. No documento, revelado por CartaCapital em sua edição 828, a estatal aparece em meio às 750 obras que, segundo a Polícia Federal, foram intermediadas pelo doleiro preso desde março em Curitiba e alvo principal da Operação Lava Jato. Com base nas informações publicadas pela revista, o Ministério Público instaurou um procedimento preliminar e solicitou à Justiça Federal do Paraná o compartilhamento de provas relacionadas à suposta ação de Youssef em solo bandeirante.
Além do Metrô, serão investigadas outras três obras apontadas na planilha, duas da Companhia de Saneamento, a Sabesp, e uma do Rodoanel. Subscrita pelo promotor Augusto Eduardo de Souza Rossini, da Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e Social da Capital, o pedido relacionado ao setor metroferroviário tem como objetivo investigar possíveis “irregularidades consistentes em supostos desvios na licitação do trecho do Monotrilho entre as estações Oratório e Vila Prudente, integrante da Linha 15-Prata do Metrô e descumprimento do prazo de entrega do referido trecho pelos representados”.
No documento, uma planilha de 34 páginas com nomes de clientes relacionados a obras e órgãos públicos, a “Obra Vila Prudente” tem como cliente do doleiro a construtora baiana OAS. Além de alvo da Lava Jato, a empreiteira é integrante do consórcio responsável pela construção do monotrilho ao lado da Queiroz Galvão e da canadense Bombardier. Prometida pelo governador Geraldo Alckmin, do PSDB, para janeiro de 2014, a obra ainda não foi inaugurada. Na planilha, o doleiro cita o engenheiro Vagner Mendonça e aponta como o valor do contrato a cifra de 7,9 milhões de reais. Ao analisar a lista de projetos, a PF apontou que “pode-se deduzir que o doleiro tinha interesse especial nos contratos dessas empresas, onde de alguma forma atuava na intermediação”.

Brasil apresentará políticas sociais na 3ª Reunião de Cúpula da Celac

As políticas sociais do governo federal que nos últimos anos retiraram milhões de pessoas da pobreza, tiraram o Brasil do Mapa da Fome Mundial e elevaram o poder aquisitivo da população, serão apresentadas pela presidenta Dilma Rousseff na 3° Reunião de Cúpula da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac). O encontro terá como tema “A Luta contra a Pobreza” e acontecerá nos dias 28 e 29 de janeiro, em São José, capital da Costa Rica.
Nesta sexta-feira (23), em entrevista coletiva no Palácio do Planalto, o subsecretário-geral da América do Sul, Central e Caribe do Itamaraty, embaixador Antônio Simões destacou também que, além dos avanços em políticas sociais, o Brasil está empenhado na promoção de cooperação com os países da Comunidade nas áreas da agricultura familiar, direito dos afrodescendentes, desenvolvimento sustentável e energético.
O embaixador ainda destacou avanços comerciais obtidos pelo Brasil nos últimos anos por meio do estreitamento das relações com o bloco. De 2002 a 2014, o comércio do Brasil com a Celac mais que quadriplicou, saindo de U$$ 20 bilhões em 2002 para U$$ 84 bilhões no ano passado, o que representa mais de 18% das trocas comerciais do Brasil com o mundo.
Na coletiva, Simões lembrou a realização da próxima reunião de Cúpula Brasil – União Europeia, que acontecerá em junho, em Bruxelas.
Sobre a Celac
Trata-se de organismo internacional de cooperação formada por 33 países da América Latina e do Caribe. A comunidade foi criada em 2010, na Cúpula do México, e tem como objetivo aprofundar a integração política, econômica, social e cultural dos países da região.
Além disso, o bloco tem avançado, nos últimos anos, à favor de políticas públicas e projetos de cooperação internacional, com base nos valores democráticos e nos direitos humanos.
Blog da Dilma no Facebook: https://www.facebook.com/BlogDilmaRousseff

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Eles superaram a pobreza

No estreito sobrado de madeira na vila Grande Gala, em Novo Hamburgo (RS), Delci Lutz cria e costura figurinos para espetáculos de dança e teatro. No extremo oeste do Acre, a ribeirinha Luceildes Maciel planta mandioca para fazer farinha. Em Jacupiranga (SP), Regiane Silva dá aulas para crianças da pré-escola.
Essas brasileiras não se conhecem. São mulheres que ultrapassaram barreiras de exclusão e superaram a pobreza com o apoio dos programas sociais do governo federal, como o Bolsa Família e as ações do Plano Brasil Sem Miséria, e de uma rede de proteção social que se amplia e se consolida a cada ano.
Mãe de dois filhos, Delci Lutz, 49 anos, teve o apoio desses programas para construir uma nova vida pra si e os dois filhos – Graziele e Daniel, de 18 e 17 anos. Há um ano, formalizou o próprio negócio, a “Delci Figurinos”, graças ao programa Microempreendedor Individual (MEI). Enfrentou a barreira invisível da exclusão e pôde esquecer as duras palavras do pai que repetia, a toda hora, que ela tinha que conseguir um emprego e esquecer essa “história de trabalhar por conta própria”.
“Sempre acreditei que ia fazer algo diferente, mas faltava um voto de confiança. Aí veio o Bolsa Família para me ajudar. Depois, o Pronatec (Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego) e o Sebrae me ajudaram no meu sucesso”. Em 2012, Delci fez dois cursos do Pronatec: o de desenho de moda pelo Senac e o de desenhista de calçados pelo Senai. Os filhos seguiram os passos dela. Fizeram o curso de auxiliar administrativo do Pronatec, voltado ao público do Brasil Sem Miséria. Hoje, ajudam na parte administrativa da “Delci Figurinos”.
A figurinista aumentou o ritmo de produção nos dois últimos anos, por conta das encomendas que só crescem. A agenda esteve lotada de pedidos até o final do ano. Delci conta que gosta de pesquisar figurinos e “fazer peças únicas”. “Fazer figurino é diferente, é descoberta, é desafiador para mim”.
No pequeno ateliê nos fundos do sobrado onde a família mora, são produzidos figurinos para espetáculos de teatro e dança, além de vestidos de festa, o que rende à empreendedora entre R$ 1,5 mil e R$ 2 mil por mês. Ela já comprou duas máquinas industriais para “melhorar a produção”. Antes, a renda da família era de apenas meio salário mínimo.
A época mais difícil coincidiu com o fim do casamento. Os compromissos pesaram sobre seus ombros. Sozinha, criou os dois filhos. Naquele tempo, já fazia roupas por encomendas, mas o que ganhava não era suficiente para sustentar as crianças.

Lula e Haddad participam de feira da comunidade boliviana em SP

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva participa com o prefeito Fernando Haddad, o secretário de Direitos Humanos Rogério Sottili e o senador Eduardo Suplicy, neste sábado (24), às 15h, da III Feira da Alasita. Atividade da comunidade boliviana de São Paulo, a feira é organizada em parceria com a Prefeitura de São Paulo.
Tradicional de La Paz, o evento é comemorado todo ano pela comunidade boliviana ao redor do mundo em celebração ao deus da abundância andino, El Ekeko. A feira será realizada na Praça Cívica Ulisses Guimarães, no Parque Dom Pedro II, (próximo ao Catavento Cultural), das 10h às 19h.
Mais de 80 barracas de gastronomia, artesanato e produtos tradicionais bolivianos e também apresentações de grupos culturais da Bolívia farão parte da feira. Neste ano, diversas secretarias municipais estarão presentes com atividades e serviços de orientação:
Desenvolvimento, Trabalho e Empreendedorismo – informações sobre empreendedorismo, cadastro e divulgação de vagas de emprego no CAT Móvel;
Cultura – ônibus-biblioteca;
Educação – divulgação do programa de Educação de Jovens e Adultos (EJA);
Direitos Humanos e Cidadania – informações sobre o Centro de Referência e Acolhida para Imigrantes (CRAI-SP);
Saúde – teste rápido de DSTs e HIV;
Transporte – atividades lúdicas realizadas por agentes da CET.
Além da festa do Parque Dom Pedro II, a data também será comemorada em outros quatro pontos da cidade: Praça Cívica do Memorial da América Latina (Barra Funda), Parque Linear Tiquatira (Penha), no Bom Retiro e no Bairro dos Pimentas, em Guarulhos.
SERVIÇO:
III Feira da Alasita
Data: 24/01/15
Horário: 15h
Local: Praça Cívica Ulisses Guimarães
Com informações da Secretaria Municipal de Direitos Humanos
--
José Chrispiniano/Gabriella Gualberto
Assessoria de Imprensa
Instituto Lula
55 11 2065-7022 / 99563-0286 / 97437-0996
www.institutolula.org
twitter.com/inst_lula
facebook.com/lula

Este ano já está marcado pela forte disputa política, avalia Nivaldo

“Nesse início de governo, produto de uma correlação de força mais complexa, o governo Dilma Rousseff tem feito concessões que prejudicam o desenvolvimento e afetam os trabalhadores”, essa é a avaliação de Nivaldo Santana, secretário nacional Sindical do PCdoB, ao fazer balanço da conjuntura política nestes primeiros 21 dias de 2015.
Por Joanne Mota da Rádio Vermelho
Nivaldo Santana lembra que é um início de governo difícil. “Mesmo antes de tomar posse, a presidenta Dilma enfrentou uma oposição golpista que tem como objetivo desgastar o governo e desestabilizar as forças políticas presentes”. Mas alerta: “É preocupante a proposição de medidas que toquem nos direitos consagrados dos trabalhadores”.
Segundo ele, “em 2015, o movimento sindical precisará atuar em duas frentes: combater a direita golpista e conservadora sem perder de vista sua luta por direitos e a defesa de suas conquistas”. E completa: “Entendemos que as medidas para equilibrar as contas públicas devem partir da taxação, por exemplo, das grandes fortunas ou de medidas no sentido de onerar mais o capital especulativo”.
O dirigente nacional do PCdoB avalia que, “esse ano, a frente heterogênea de sustentação do governo será marcada por forte disputa política e de projeto”.
Blog da Dilma no Facebook: https://www.facebook.com/BlogDilmaRousseff

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Conta na Suíça liga Youssef ao escândalo das propinas nos trens de São Paulo

Na linha 15-Prata do Metrô está a estação Vila Prudente, listada na planilha apreendida com Youssef em março pela Polícia Federal, ao lado da cifra de R$ 7,9 milhões, suspeita de referir-se a propina
por Helena Sthephanowitz - RBA:
A força-tarefa que investiga a Operação Lava Jato encontrou movimentações financeiras em nome da multinacional canadense Bombardier nas contas usadas pelo doleiro Alberto Youssef na Suíça. É mais uma peça no quebra-cabeças de indícios e provas que o Ministério Público paulista tem de montar sobre o esquema de corrupção no Metrô, chamado pomposamente de cartel pela imprensa tucana, onde empresas combinavam preços nas licitações e pagavam propinas a autoridades do governo tucano de São Paulo nas gestões de Mário Covas, José Serra e Geraldo Alckmin.
A Bombardier é fornecedora dos trens do monotrilho da Linha 15-Prata do Metrô paulista e investigada por supostamente integrar o cartel. Nesta linha do Metrô está a estação Vila Prudente, listada na planilha apreendida com Youssef em março pela Polícia Federal, ao lado da cifra de R$ 7,9 milhões, suspeita de referir-se a propina.
A movimentação com o nome da multinacional canadense aparece na conta suíça do banco PKB, da empresa offshore Santa Tereza Services Limited Partnership, criada na Nova Zelândia e controlada por João Procópio Junqueira Pacheco de Almeida Prado, preso desde julho de 2014 apontado como alto membro da suposta organização criminosa de Youssef.
“Apurou-se que dentro da conta da offshore Santa Tereza, na Suíça, há quatro subcontas (denominadas Fiança, C/C, Premier e Sanko), todas controladas pela organização criminosa de Youssef e utilizadas para as práticas delitivas. Assim, por exemplo, no extrato da subconta Sanko Sider aparecem depósitos que também aparentam ser relacionados à corrupção de funcionários públicos brasileiros: Bombardier, OAS Investments, Cimentos Tupi (…)”, afirma o MPF em relatório.

Em carta, Cristina Kirchner muda discurso e diz que promotor foi usado e morto

Argentina,  Em uma carta publicada em seu site na manhã desta quinta-feira, a presidente argentina, Cristina Kirchner, rebateu as acusações do promotor Alberto Nisman no suposto encobrimento de agentes iranianos no caso Amia. Ela afirma que, após ler a denúncia na íntegra, soube que o promotor seguiu pistas erradas. Ela acusa o ex-diretor de contrainteligência da Secretaria de Inteligência, Antonio Stiusso, de fornecer pistas erradas a Nisman, e surpreendemente muda o discurso e põe em dúvida a tese do suicídio do promotor, admitindo que ele teria sido forjado.
Blog da Dilma no Facebook: https://www.facebook.com/BlogDilmaRousseff

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Democratizar a mídia brasileira

É preciso urgentemente democratizar a mídia brasileira. O Governo Dilma, os partidos de esquerdas e a sociedade precisa se unir pela aprovação do Marco Regulatório da Comunicação no Congresso Nacional.

Recomendações da Comissão da Verdade já são tema de propostas legislativas

Por Paulo Cezar Barreto - Agência Senado:
A desmilitarização das polícias estaduais é uma das oito recomendações de mudanças legais que fazem parte do relatório da Comissão Nacional da Verdade (CNV) entregue em 10 de dezembro de 2014 à presidente da República, Dilma Rousseff, e ao presidente do Senado, Renan Calheiros.
Também são sugestões da comissão: a revogação da Lei de Segurança Nacional; a tipificação dos crimes contra a humanidade e de desaparecimento forçado; a extinção das Justiças Militares estaduais; a exclusão dos civis da Justiça Militar Federal; a supressão de referências discriminatórias a homossexuais na legislação; a eliminação da figura dos autos de resistência; e a criação de auditorias de custódia.
No documento, fruto de um trabalho de dois anos e sete meses, a CNV ainda responsabiliza por crimes contra a humanidade 377 pessoas, das quais 359 atuaram no período do regime militar (1964-1985).  A comissão tomou 1.121 depoimentos para apurar atos praticados por agentes repressivos do Estado, especialmente torturas, assassinatos e desaparecimentos de militantes de oposição à ditadura.
A maior parte das recomendações de mudanças legais que constam do relatório da CNV já tramitam no Senado ou na Câmara. Em encontro com o coordenador da CNV, Pedro Dallari, Renan Calheiros prometeu apoio à tramitação das propostas, ressaltando que algumas exigirão alterações da Constituição.
Desmilitarização da polícia
A principal modificação no sistema de segurança pública é tema da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 51/2013, do senador Lindbergh Farias (PT-RJ), que prevê a reformulação do modelo de polícia adotado pelo Brasil e determina a desmilitarização da corporação hoje encarregada do policiamento das ruas e da manutenção da ordem pública.

Reforma Política será debatido no #WebFor2015, em Fortaleza

Reforma Política será um dos temas do ‪#‎WebFor2015‬, em Fortaleza, dias 23 e 24 de maio(sábado e domingo). Inscrições gratuitas que deverão ser confirmadas pelo e-mail: webfor2015@gmail.com. Acesse nossa página: https://www.facebook.com/events/820806711315267/?source=1

Fortaleza tá abandonada

A Fortaleza do Prefeito Moto Serra Roberto Cláudio tá abandonada, cheia de lixo, buracos, aumento da passagens de ônibus em 2013, 2014 e agora em 2015, ao contrário da gestão da ex-prefeita Luizianne Lins, quando a passagem era a menor do Brasil, e passou 4 anos sem aumento. Arriégua macho!

Enquanto isso, em um futuro não muito distante em São Paulo

Por Leonardo Sakamoto - blog:
- Fodeu.
– Fodeu o quê? Fodeu quem? Quem tá falando?
– Dilma, é o Geraldo.
– Geraldo, como é que você tem o número desse celular?
– Consegui com uns procuradores do Paraná, história longa… Mas o que importa é que vamos ter que evacuar metade de São Paulo.
– Mas… hein?
– Can-ta-rei-ra. Sem água. Mais de uma semana. Não tem de onde tirar. Baby wipes também já sumiram nas gôndolas dos supermercados. Ontem, um exército de pessoas munidas de toalhas tentou derrubar os portões aqui do Palácio dos Bandeirantes porque descobriu que a gente é atendido pelo sistema Guarapiranga, que ainda tem água. Exigem banho.
– Geraldo, eu te disse que esse negócio de ficar negando que a cidade estava secando não ia dar certo, não te disse? Faltou planejamento, querido, faltou fazer mais reservatórios, interligar sistemas, comunicar à população…
– Ah, vai jogar na cara agora? Vai tripudiar, é?
– Mas eu te disse.
– Se é assim, então responde: por que a cidade está parecendo um pisca-pisca de Natal? Quando “acende'' um bairro apaga outro.
– Veja bem… No que se refere à falta de energia, eu digo… E-ner-gi-a… O Pronatec…
– Dilma, como assim?
– Esquece, força do hábito… E eu tenho culpa que o povaréu está comprando ar condicionado no crediário mesmo com o Levy arrepiando nos juros?

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Manuela d’Ávila defende maior participação popular no Parlamento

Por Lívia Araújo - Jornal do Comércio:
De volta ao Rio Grande do Sul como o nome mais votado para uma cadeira na Assembleia Legislativa no pleito de 2014, com 222.436 sufrágios, Manuela d’Ávila (PCdoB) traz de Brasília, onde exerceu dois mandatos como deputada federal, a convicção de ter realizado tarefas importantes, como a liderança da bancada e a presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados. No entanto, segundo a parlamentar, “por mais próximo que teu mandato esteja do povo, não é igual a estar na rua caminhando e poder conversar com as pessoas, ter o ouvido aberto e poder refletir e sentir as transformações da sociedade”.
Com isso, Manuela volta disposta a estar mais perto de suas origens políticas, no caso de movimentos sociais como o de estudantes, e ampliar a presença popular no Legislativo, onde ela acredita que existem “setores que têm receio de que essa participação acabe substituindo o Parlamento, quando é o que o reforça”, avalia, nesta
Em sua futura atuação na Assembleia, promete questionar o atual modus operandi da Casa. Com a Mesa Diretora atualmente se revezando entre os partidos com as quatro maiores bancadas, a deputada reforça que o Parlamento precisa estar atento à “dispersão partidária” ocorrida nas eleições, que permitiu que o próprio PCdoB aumentasse seu espaço na casa, conquistando mais uma cadeira, além da entrada de novos partidos como o P-Sol, PV e PSD.
De acordo com a deputada, a atuação parlamentar preenche, por enquanto, seus planos em relação a seu futuro político. Candidata à prefeitura de Porto Alegre nas eleições de 2008 e 2012, Manuela parece preocupar-se mais com uma união entre as diferentes siglas de seu polo político. “Tivemos uma dispersão da esquerda e fomos derrotados. Acho que temos diversas pessoas que podem adquirir competitividade no processo, se estivermos unidos em torno do melhor nomes”, pontuou.
JC - A senhora volta a legislar no Rio Grande do Sul depois de dois mandatos como deputada federal. Quais experiências traz de Brasília e como elas influenciarão em sua atuação na Assembleia Legislativa?

Mídia manipula contra Dilma Rousseff

Os dados estão aí. Nada que não soubéssemos, mas o Manchetômetro tira qualquer dúvida sobre a perseguição feita pela imprensa ao governo de Dilma Rousseff. Acesse e divulgue o Blog da #Dilma: http://www.blogdadilma.com/

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Governo esclarece a centrais sindicais que ajustes são para garantir benefícios

Representantes do governo se reuniram nesta segunda-feira (19) com representantes das seis principais centrais sindicais do país para esclarecer dúvidas sobre as medidas provisórias 664 e 665, que propõem ajustes e correções nos benefícios sociais.
O ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Miguel Rossetto, afirmou que a intenção do governo é esclarecer aos representantes dos trabalhadores as medidas e abrir o diálogo com a categoria. Ele ressaltou que o governo está garantindo todos os benefícios aos trabalhadores, porém fazendo ajustes para garantir a sustentabilidade dos programas. De acordo com o ministro, ao propor as correções, o governo pretende garantir a manutenção dos benefícios sem comprometer a política de permanente valorização do salário mínimo.
Segundo Rossetto, no período de 2003 a 2013 cerca de 15,5 milhões de trabalhadores foram formalizados apenas no setor privado. Nesse mesmo período, 30 milhões de pessoas entraram na base da Previdência Social. O ministro também destacou que o salário mínimo registrou um aumento real de 73% em 10 anos e a expectativa do brasileiro aumentou em 4,4 anos nos últimos 13 anos. “Essas mudanças estruturais no mercado de trabalho e na qualidade de vida da população impactam significativamente nas políticas sociais do governo e com base nesse diagnóstico o governo estudou formas de aperfeiçoar os programas e propor a correção das distorções”, afirmou.
O ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, destacou que as medidas do governo visam garantir a sustentabilidade dos programas sociais e contribuem para ajustes de curto e médio prazos. “A política de inclusão social aumentou o universo de trabalhadores beneficiados e nosso objetivo é aperfeiçoar alguns programas sem comprometer os direitos do trabalhador. A política econômica do governo continua em uma mesma direção, mas estamos propondo medidas pontuais e mais suaves para voltar a estimular o crescimento da economia e gerar empregos em ritmo mais acelerado”, declarou.
O ministro da Previdência Social, Carlos Gabas, foi enfático ao afirmar que o governo não irá retirar os direitos dos trabalhadores. “Nós também não pretendemos atingir os atuais pensionistas, o que queremos é corrigir distorções e garantir a sustentabilidade dos programas e manter a política de valorização dos salários”, disse.
O ministro do Trabalho, Manoel Dias, ao falar do seguro-desemprego e do abono salarial, afirmou que as propostas apresentadas pelo governo também observam a sustentabilidade do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT). “São necessárias adequações. Nós temos responsabilidades como gestores do fundo, pois ele serve ao trabalhador”, garantiu.
Uma nova reunião foi marcada para a próxima semana para dar prosseguimento às discussões e garantir a participação dos representantes dos trabalhadores. “A ideia é abrir um calendário de diálogo, de forma a aperfeiçoar as propostas do governo com o apoio de todos”, ressaltou Miguel Rossetto.
Blog da Dilma no Facebook: https://www.facebook.com/BlogDilmaRousseff