quarta-feira, 25 de março de 2015

1º de abril - Ato contra a Rede Globo

Vem aí: Grande ato pela cassação da concessão da Rede Globo. Quarta, 1º de abril, às 17h, em frente à sede da emissora em todo o Brasil. Apoio do Blog da Dilma: http://www.blogdadilma.com/

Governo vai analisar contratos para impedir abusos no Fies

Em entrevista coletiva nesta terça-feira (24), no Palácio do Planalto, o ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, afirmou que o governo identificou abusos no reajuste das mensalidades repassadas aos estudantes inseridos no Programa de Financiamento Estudantil (Fies). Segundo Mercadante, o governo vai analisar “contrato por contrato” para impedir que o aluno pague um valor excessivo ao fim do financiamento.
“É responsabilidade do Estado defender o consumidor, defender o estudante, e buscar um bom entendimento em relação a essa questão. Por isso que hoje a renovação do contrato possui limite de aumento do financiamento, que é a inflação acumulada no ano. O que está acima disso vai ter que ser rediscutido”, pontuou o ministro.
Para isso, o governo aplicou medidas existentes em outros programas educacionais, como nota mínima no ENEM, cadastro único de alunos e coordenação das matrículas pelo Ministério da Educação.
“A meritocracia que vai estabelecer o acesso ao FIES. O aluno tem que ter no mínimo 450 pontos no ENEM, e já é assim no ProUni.  Então os melhores alunos terão prioridade no financiamento. Há outros critérios, como renda, qualidade dos cursos, etc”, disse. Segundo Mercadante, 1,2 milhão de alunos já refizeram seu financiamento.
Blog da Dilma no Facebook: https://www.facebook.com/BlogDilmaRousseff

terça-feira, 24 de março de 2015

Tarso Genro: Quem é populista?

Tenho procurado me preservar de debater, neste momento, por razões diferentes, tanto o Governo Sartori, como o segundo Governo Dilma. Assim como os governantes, que iniciam os seus governos, entendo que – a menos que surja alguma questão de princípio - os governantes que saem, também devem ter um certo "período de graça". Ontem, porém, sem ofender ninguém, ou fazer críticas a alguém, não me contive e tuitei que estava feliz com a decisão do Tribunal de Justiça, sobre a constitucionalidade do novo Mínimo Regional, de R$ 1006,88. É um valor que não é elevado, mas que melhora a alimentação de mais de 1,5 milhão de famílias trabalhadoras gaúchas: crianças, jovens, idosos, que poderão comer um pouco melhor.
Hoje me deparo com um odioso editorial do jornal Zero Hora, que me acusa de tentar "então na chefia de governo, antes de abandonar o poder, submeter ao parlamento uma proposta nitidamente populista". Quero sustentar, neste pequeno texto, que "populista" é o editorial de ZH, além de falso e preconceituoso.
Vejamos. Falso, porque omite – como reconhece na notícia que divulga, na mesma edição na página 11 – que no final do meu governo, apenas recuperei a mesma posição do Salário Mínimo Regional de 2001, que veio, paulatinamente, sendo achatado pelos governos que sucederam Olívio Dutra. Tal recuperação eu propusera de forma transparente, no meu Programa de Governo e defendido esta posição, inclusive perante a própria Federasul, nos debates que precederam a minha eleição. Falso, também, porque ao contrário do que diz o editorial, não "tentei" submeter o parlamento. Eu "remeti" ao parlamento um projeto, de acordo com as minhas prerrogativas constitucionais, que foi apreciado de forma regular por aquela instituição.
Preconceituoso. O editorial é preconceituoso contra os pobres porque qualifica a minha proposta como "populista". Com esta definição, o honorável periódico desconhece a elementar definição, na Teoria Política, do verdadeiro significado deste tipo de ação partidária ou estatal, que, de um lado, busca prescindir das instituições regulares do Estado para promover os seus atos e, de outro, procura instrumentalizar as instituições para conter os ímpetos de transformação radical, que possa vir dos pobres e explorados. O populismo considera o povo uma "massa informe", manipulável pelo poder: o povo considerado como "agregado social homogêneo", sempre depositário de valores positivos e permanentes, acima e afora das classes sociais. O povo como objeto manipulável, não as classes como sujeitos.

Beto Richa (PSDB), está no centro de um escândalo de corrupção

O governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), está no centro de um escândalo de corrupção que causou prejuízo de mais de R$ 500 milhões aos combalidos cofres públicos do Estado.
Desde janeiro, mais de 20 pessoas foram presas pelo Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) em operações contra corrupção na Receita Estadual de Londrina, fraude em licitação e exploração sexual. Entre os presos estavam — até ontem — pessoas do círculo íntimo do governador, entre eles o primo de Beto Richa, Luiz Abi Antoun.
Empresário e lobista, Luiz Abi foi preso na semana passada sob acusação de ser o cabeça de um esquema de fraude em licitação realizada em dezembro para o conserto de automóveis do governo estadual. Segundo o Ministério Público, a empresa de Abi, que levou R$ 1,5 milhão na licitação, superfaturava o valor dos serviços e peças.
Abi é conhecido no Paraná como um discreto e influente operador do governador. Prova de seu poder é uma grande lista de indicados no primeiro escalão do governo paranaense, nas estatais Copel, Sanepar, Celepar e Sercomtel – onde sua esposa é vice-presidente –, e demais órgãos, como a Secretaria de Administração e Secretaria da Fazenda, especialmente na Receita Estadual.
A influência de Luiz Abi na Receita Estadual não é coincidência. Segundo o MP, além da fraude em licitação, o primo do governador tucano é o “lastro político” de um grande esquema de corrupção dentro da Delegacia Receita Estadual de Londrina.

Ibope do "Jornal Nacional" "derrete"

Um "terremoto" ocorreu na redação da Globo na noite de hoje. O "Jornal Nacional" registrou uma das mais baixas médias de audiência em dias úteis, segundo dados prévios obtidos pelo UOL.
A média de audiência esta noite foi de 20 pontos, que é equivalente ao índice do telejornal global em um sábado de feriado prolongado.
Na segunda-feira passada a média foi de 29 pontos. A segunda-feira de Carnaval, por exemplo, deu 25 pontos na Grande SP (cada ponto = 67 mil domicílios). Os dados consolidados do Ibope só serão divulgados amanhã e podem sofrer pequena variação (geralmente nunca maiores que um ponto).
Dez anos atrás a média do "JN" era de 35,8 pontos na Grande São Paulo.
Embora não seja possível afirmar categoricamente o motivo da queda desta noite, não é difícil apontar os prováveis motivos.
1) As novelas das 18h e 19h não estão tão bem quanto deveriam, em audiência. Isso atrapalha a "alavancagem" de público que está sintonizando as novelas e continua na Globo durante o telejornal
2) A nova novela das 21h, Babilônia, também não vai nada bem  para os padrões da Globo, com média em torno de 31 pontos. Quando a novela vai bem, como o final de "Império", um bom público sintoniza antes o "JN" já à espera da trama.
3) Hoje ocorreu a estreia de "Os Dez Mandamentos", na Record, que também mudou o horário de seu telejornal para mais tarde; ocorre que a Record subiu nesta noite em todas as principais praças do país.
Em São Paulo passou de 7,9 pontos (na última segunda,) para 9,6 pontos hoje; no Rio passou de 7,7 para 12,6 pontos; Belo Horizonte dobrou: de 5,5 pontos para 11,1; Porto Alegre, idem: de 3,6 para 7,2 pontos; e no Recife, a emissora passou de 5 pontos para 12 hoje. Cabe saber se esses bons índices continuarão nos próximos capítulos.
4) "Chiquititas", no SBT, também está dando boas médias, em torno de 10 pontos
Por Ricardo Feltrin - Colunista do UOL.

Desabafo de Luis Rebecci sobre o Governo Dilma

Por Luis Rebecci
Estou deixando de ser petista sem deixar de ser Lulista e Dilmista, mas fico decepcionado ao ver a violência e ao mesmo tempo ver que o governo nada faz para melhorar a vigilância nas fronteiras, é uma festa trazer armas e drogas, outro dia voltava do Paraguay e para ir existe vigilância para entrar no Paraguay, mas na volta não tinha uma alma penada pra ver nossas fronteiras, parece que gostam de facilitar as coisas pra bandidos. Alías, o PT já expulsou Zé Dirceu, Paloci, os tesoureiros e companhia?????
Link: https://www.facebook.com/luis.rebecci

Assista também: Gilberto Carvalho: "O que está em jogo hoje no Brasil? - parte final


Governo de Minas Gerais firma acordo para combate ao racismo

Belo Horizonte- MG, Brasil- Minas Gerais será o primeiro Estado do país a promover uma campanha de enfrentamento ao racismo e de busca da promoção da igualdade racial nas escolas públicas. Acordo neste sentido foi assinado nesta segunda-feira (23/3) pelo governador Fernando Pimentel e a ministra Nilma Lino Gomes, da Secretaria de Políticas de Promoção à Igualdade Racial, ligada à Presidência da República (Seppir/PR). O ato ocorreu dois dias após a comemoração do Dia Internacional pela Eliminação da Discriminação Racial (sábado, 21/03) e no ano em que se inicia a Década Internacional dos Povos Afrodescendentes, ambos instituídos pela Organização das Nações Unidas (ONU). O objetivo do acordo é desenvolver ações em todas as 3.667 escolas da rede estadual de ensino de Minas Gerais para a superação do preconceito racial, alcançando o reconhecimento e a valorização da história e da cultura dos povos africanos na formação da sociedade brasileira. Blog da Dilma no Facebook: https://www.facebook.com/BlogDilmaRousseff

Estudantes canadenses vão às ruas contra corte de gastos com educação

Montreal,  Canadá- Centenas de estudantes se reuniram hoje (23) na praça Phillips Square, em Montreal, no Canadá, para protestar contra as medidas de ajuste fiscal adotadas pelo governo da província de Quebeque. A manifestação, iniciada por volta das 11h30, horário local, terminou uma hora depois, após rápido confronto com a polícia. Alguns estudantes foram detidos.O protesto ocorreu no mesmo dia em que várias associações de estudantes se organizaram para declarar greve social e marcar posição contra o projeto de lei governamental que reduz gastos no setor público, incluindo cortes no orçamento de universidades. A estimativa é que 60 mil estudantes aderiram à greve.
Blog da Dilma no Facebook: https://www.facebook.com/BlogDilmaRousseff

segunda-feira, 23 de março de 2015

Deodato critica imprensa e reforma retrógradas

O vereador Deodato Ramalho (PT) fez duras críticas à partidarização da grande mídia, que atua numa campanha aberta pelo impeachment da presidenta Dilma Rousseff, o que considera, consequentemente, um golpe contra a democracia.  O pronunciamento do parlamentar foi feito durante o pequeno expediente, na tribuna da Câmara Municipal de Fortaleza, desta quarta-feira (18).
Segundo Deodato, historicamente os governos populares e desenvolvimentistas brasileiros, sempre são atacados pela imprensa patronal, por beneficiarem o conjunto da população e não exclusivamente a classe dominante. “Foi assim com Getulio Vargas, com João Goulart, com Juscelino Kubistchek e o Lula. Agora eles querem fazer o mesmo com a presidenta Dilma”, ressaltou.
O vereador lembrou que há notícias de casos de corrupção desde o início da invasão européia, nos anos 1500, mas que após mais de meio milênio de desvios, somente em 2003, no primeiro mandato do presidente Lula, começou um combate eficaz à tais práticas, dando autonomia à Polícia Federal e impedindo o "engavetamento" de investigações.
Contrareforma conservadora
Deodato também discordou das propostas apresentadas pelo PMDB para a reforma política em discussão no Congresso Nacional. Segundo o parlamentar, o financiamento privado das campanhas é uma porta aberta para a corrupção e as propostas apresentadas pela bancada do partido apontam no sentido de uma reforma conservadora, que não atende ao clamor da sociedade.
O conjunto de propostas para a reforma política, apresentado pelo PMDB no dia anterior (17), sugere o fim da reeleição e a manutenção do financiamento privado de campanhas, desde que limitado a um candidato por cargo. O documento também traz como propostas: a adoção do voto distrital puro, com a eleição dos candidatos com mais votos; o fim das coligações nas eleições proporcionais; mandatos de cinco anos para deputados, vereadores e chefes do Executivo (federal, estadual emunicipal) e de dez anos para senadores.
Site Vereador Deodato Ramalho - PT/Fortaleza: http://www.deodato.org.br/noticias/c_texto.asp?id=1010&a=c

segunda-feira, 9 de março de 2015

Brasil × impeachment: O jogo político da “mídia isenta, democrática e apartidária”

Por Sonia Sampaio - E-mail: educadorasoniasampaio@gmail.com
“Não basta que todos sejam iguais perante a lei.
É preciso que a lei seja igual perante todos.”
Salvador Allende
Faço parte dos 54 milhões de brasileiros e brasileiras de todas as classes sociais, que confiam na competência e honestidade da presidenta Dilma Rousseff.
No Congresso Nacional, há 513 deputados federais e 81 senadores que recebem salário mensal de R$33,7 mil e, além disso, ajuda de custo, auxílio moradia e verba de gabinete para até 25 funcionários.
Se os políticos que têm interesse no impeachment da presidenta Dilma representassem o povo, proporiam a redução do próprio salário e cortariam os próprios privilégios.
De acordo com o art. 52 da Constituição Federal de 1988, é competência do Senado, dentre outras, processar e julgar o presidente e o vice-presidente da República nos crimes de responsabilidade. Dilma não cometeu nenhum crime de responsabilidade que justifique a proposta de impeachment.
Nos tempos de FHC (1995 a 2002), havia várias suspeitas de corrupção envolvendo o ex-presidente, mas o Congresso não propôs impeachment.
Quanto à Petrobras, em 1996, o jornalista Paulo Francis denunciou a corrupção na estatal durante programa de TV GloboNews, mas FHC não instaurou CPI e o Congresso não propôs impeachment do presidente por omissão.
Em 2000, José Eduardo Andrade Vieira, ex-ministro de FHC e ex-senador, denunciou o uso de caixa 2 na campanha de eleição presidencial de FHC em 1994, mas o Congresso não propôs impeachment do presidente.
Se o Congresso não propôs impeachment para FHC com base em denúncias, não tem moral para propor impeachment para Dilma que combate a corrupção, doa a quem doer.

Camponesas ocupam a multinacional Bunge, no entorno de Brasília

Luziânia- DF, Brasil- Cerca de 800 mulheres camponesas, organizadas pela Via Campesina, ocupam desde o início da manhã desta segunda-feira (9), a multinacional Bunge, em Luziânia (BR 040- entorno de Brasília). O protesto denuncia o agronegócio e o seu modelo de desenvolvimento para o campo brasileiro.“A Bunge é uma das transnacionais que representa o capital estrangeiro na agricultura e que atenta à vida de milhares de mulheres. Esse modelo não produz alimentos saudáveis, dificulta o acesso à terra das camponesas e está envenenando o povo brasileiro com o uso intensivo de agrotóxicos”, explica Lucimar Nascimento, integrante da direção nacional do MST.
Blog da Dilma no Facebook: https://www.facebook.com/BlogDilmaRousseff

Vídeo: Pronunciamento pelo Dia da Mulher


Como a mídia engana o povo brasileiro

Durante a gestão do PSDB no governo os brasileiros viviam sob o temor de apagões e racionamento de energia, hoje a realidade é outra.
Sabe por quê?
Com os investimentos garantidos pelo governo da presidenta Dilma, a capacidade de energia eólica será 60% maior neste ano.
Além disso, os riscos de apagões ou racionamento de energia estão descartados, apesar da grave crise hídrica enfrentada pelo País.
"No passado, teríamos racionamento, mas hoje nosso sistema é robusto", lembrou Dilma, ao inaugurar o parque eólico Geribatu, em Santa Vitória do Palmar (RS), no dia 27 de fevereiro.
No entanto, em propagandas lançadas ontem (7) pelo PSDB na tentativa de envenenar a população contra o governo, os tucanos esquecem desses detalhes da história brasileira.
De acordo com o Tribunal de Contas da União, os apagões da gestão de Fernando Henrique Cardoso causaram prejuízo de R$ 45,2 bilhões ao Brasil.
Vale lembrar que os brasileiros sofreram com dois grandes apagões em 1999 e 2001. Isso sem falar nos períodos de racionamento de energia, marcados por sobretaxas implementadas pela gestão tucana no governo federal.
Veja em http://bit.ly/1BVXPle, http://abr.ai/1wRoVtA, http://glo.bo/1A8Hh4U e em http://abr.ai/1EsQN9o

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Rosane Bertotti participará do #webFor2015, em Fortaleza

Rosane Bertotti, secretária nacional de Comunicação da CUT e coordenadora do FNDC participará do #WebFor2015, em Fortaleza, dias 23 e 24 de maio, e debaterá a "democratização dos meios de comunicação" junto com os participantes. Faça logo sua inscrição, que é gratuita pelo e-mail: webfor2015@gmail.com, e acesse nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/events/820806711315267/?fref=ts - Contato: Daniel Pearl Bezerra(85-98560002-TIM) e Fábio Mendes.

sábado, 21 de fevereiro de 2015

Não haverá flexibilização das leis trabalhistas, garante Dilma

Ainda na conversa com jornalistas nesta sexta-feira (20), a presidenta Dilma Rousseff garantiu que o governo não reduzirá ou flexibilizará os direitos trabalhistas. Ela usou o exemplo dos ajustes na base de beneficiários do Bolsa Família para explicar a correção de distorções em benefícios sociais como o seguro-desemprego, abono doença, abono salarial e pensão por morte. Para a presidenta, a questão em curso se trata de aperfeiçoar a legislação para manter o benefício a quem realmente precisa.
“No ano passado nós tiramos quase 1,3 milhão de pessoas do Bolsa Família. Por quê? Porque tinha havido uma melhoria da renda que desenquadrava essas pessoas daquele programa. Outras pessoas entraram, essas saíram. Qualquer programa social que não seja criteriosamente gerido e você olhe, sistematicamente, como é que ele está funcionando, é mal sucedido. Todas as medidas que nós tomamos, elas têm um objetivo. Estou falando daquelas que dizem respeito a seguro-desemprego, abono doença, abono salarial, a pensão por morte… Nós estamos aperfeiçoando a legislação porque a legislação tem que ser aperfeiçoada da mesma forma como nós fizemos com o Bolsa Família.”
Questionada sobre a possibilidade de negociar as medidas propostas, a presidenta disse que a negociação continua, uma vez que em uma democracia existe diálogo com a população e com o parlamento. Mas reafirmou que são necessários argumentos da parte de quem questiona as medidas que foram tomadas para garantir a saúde dos fundos e benefícios que defendem os trabalhadores.
“Eu acho que sempre há negociação, ninguém acha que em um país democrático como o Brasil que tem um Congresso livre, que tem movimentos sociais sendo ouvidos e com os quais você dialoga, não seja algo fechado, que não há negociação. Sempre há negociação, mas também há posições claras. Só ser contra por ser contra, não. Só ser a favor por ser a favor, também, não. Então com argumento e com fundamentos, você chega sempre a uma boa solução.”
Correção na tabela do IR
Sobre a correção na tabela do Imposto de Renda para Pessoa Física, Dilma respondeu que seu compromisso é com o reajuste de 4,5%, por isso vetou o valor de 6,5%, pois este não caberia no orçamento.
“Nós não estamos vetando porque queremos, nós estamos vetando porque não cabe no orçamento público. Eu vetei porque não tem recurso para fazer. Então, é essa a questão, o meu compromisso é 4,5%. Se por algum motivo não quiserem os 4,5 nós vamos ter que abrir um processo de discussão novamente”, ponderou. Blog do Planalto.

O Brasil atual e a hipocrisia da mídia e das elites

Por Iris Tavares* - editora do Blog da Dilma em Fortaleza. iristavaresce@me.com
A atual  conjuntura política no Brasil apresenta alguns recortes curiosos e extravagantes no debate que se anuncia nos meios de comunicação de massa, nas redes sociais, e nas esferas do Legislativo, Executivo e Judiciário. A impressão que se tem é que intencionalmente se estabeleceu um vácuo na história política do Brasil. Isso atinge as três últimas décadas que antecedeu ao PT no governo central. A economia aparece como tema central e urgente. De tal forma os 12 anos que seguiram , o PT no comando do governo central, coube elucidar pontos importantes e significativos da economia brasileira. Nenhum plano que foi posto em pratica para salvar a economia e consequentemente o povo brasileiro nos governos Collor, Sarney e FHC, causou tanta aflição e resistência declarada de tantos atores. Atores que compraram a briga com ódio e revolta desmedida e sem utilidade, outros passaram a promover um ambiente de guerrilha virtual totalmente à margem do eixo principal da discussão, embora o conteúdo comunicado pelos atores e denunciantes estão recheados de suspeitas e de um julgamento que aponta, principalmente, os agentes políticos. O debate é necessário e fundamental, mas precisa ser rigorosamente qualificado e se esforçar para alcançar de fato a amplitude que a natureza do problema apresenta. Para isso deve servir a matemática, a estatística e demais áreas do conhecimento que compõem inteligência suficiente para investigar o pacote das contas públicas recepcionado pela corrupção. O debate é sobre a ética, sobre os princípios e valores negados pela atual e decadente sociedade de consumo. Quanto custa a corrupção aos cofres públicos? ao serviço público? ao cidadão? É um fato real que os doze anos do PT no governo central retirou a corrupção dos gavetões do anonimato, saiu da lenda para a realidade, paupável e cuidadosamente tratada. É um fato, também, que os processos investigados no Brasil apresentam as raízes, longos braços de um método utilizado pelos detentores do capital nacional e internacional, o poder público, enfim a conexão global que se ajusta, se fortalece as custas do ilícito.  Propor aos atores que não estão colaborando pedagogicamente, que não informam ou educam o suficiente sobre a atual conjuntura brasileira, para pesquisar, conhecer mais lendo a literatura adequada, as experiências relatadas em vários sites de distintos países, ONGS e grupos comunitários. Vamos lá. Vamos aproveitar essa conjuntura escancarada que traz à baila uma pratica que nasceu e perdura desde os primórdios da história da civilização. É um longo passeio. Precisa ser feito, pois os governos passam e a sociedade permanece. Coragem!!!
Iris Tavares - Historiadora, feminista, socialista, militante dos Direitos Humanos e Meio Ambiente. Mestra em Políticas Publicas e Gestão na Educação Superior.

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

O dia em que “meu zovo” gorou o impeachment

Por Luiz Edgard Cartaxo de Arruda Junior (memorialista e diretor de comunicação do Sindicato MOVA-SE) e Fátima de Deus (professora)
O impiximan é meuzovo surgiu de repente fazendo gorar todo o FORA DILMA programado com esmero e dedicação por todo o PIG, durante quase um mês, contando inclusive com a participação especialíssima do “príncipe dos sociólogos” FHC, respaldando e estimulando através de seu artigo no Estadão e aval dado ao impeachment, feito a peso de ouro, pelo famoso Ives Gandra, em outro artigo; logo desprezado pela maioria dos jurista do País e contestado rapidamente com fortes e irrefutáveis argumentos que puseram abaixo o golpismo que se esconde por trás deste pretenso e inconcebível impeachment.
Foram mais de duas semanas de intensa preparação para o referido  Ato,  nas redes sociais e na grande mídia (Rádios, TVs, Jornais e Revistas) firmado e pré-determinado com esmero em mais de 50 cidades brasileiras “... pra tudo se acabar na quarta-feira...”, digo, no sábado gordo, véspera do propalado e fatídico 15, o dia D da Dilma, que deu com os burros n’agua com a divulgação em menos de 15 segundos, por dois  jovens cearenses, em duas folhas de papel oficio, exibindo para a câmara da Rede Globo, no bairro José Bonifacio em Fortaleza a expressão impiximan é meuzovo, que traduzindo do cearencês significa:  É IMPOSSÍVEL, NÃO SE FAZ, NÃO DEIXO ACONTECER, em suma NEM QU A VACA TUSSA.
Prá tu vê, frase humorada e bem dita destrói golpe. Em nenhum lugar do Brasil apareceu um seu ninguém, nenhuma viv’ alma pedindo um inadmissível Fora Dilma.
Luiz Edgard Cartaxo de Arruda Junior - Fortaleza/CE - cartaxoarrudajr@gmail.com

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Chacina do Cabula: blogueiro é ameaçado

Por Wellton Máximo, na Agência Brasil:
O editor-chefe do blog Mídia Periférica, Enderson Araújo, denunciou abusos de policiais militares na Bahia, sofreu ameaças e deixou Salvador, alegando temer pela própria vida. Ele está em local desconhecido. A Superintendência de Direitos Humanos da Bahia e a Secretaria Nacional de Juventude acompanham o caso.
Araújo diz ter sido abordado por um policial militar ao sair de uma padaria no último dia 9. “Ele disse que era melhor eu segurar o dedo e parar de escrever porque ficaria sem segurança”, recorda. Para o ativista em direitos humanos, a ameaça foi motivada por uma matéria dele publicada na revista Carta Capital sobre recentes ações da Polícia Militar (PM) em Salvador, que deixaram 15 jovens negros mortos em três dias.
Na madrugada do último dia 6, a PM matou 12 jovens no bairro do Cabula, em Salvador, após uma troca de tiros. A polícia matou dois jovens no bairro de Cosme de Farias no dia seguinte (7) e mais um jovem no bairro Sussuarana, onde Araújo vive, no dia 8. O blogueiro também publicou um vídeo em que policiais ordenavam a dois jovens que tirassem a roupa para facilitar a revista durante a operação em Sussuarana. “O vídeo e a matéria [publicados] em um veículo de circulação nacional, questionando os métodos da PM, irritaram alguns policiais.”
Em todos os casos, a Polícia Militar da Bahia alega que as mortes ocorreram porque as pessoas demonstraram resistência à abordagem e que parte dos mortos tinha passagem por roubo, tráfico de drogas, posse de explosivos e de armas de alto calibre. Movimentos sociais questionam a versão e alegam que a maioria dos mortos é jovem, pobre e inocente.
Araújo acionou a Superintendência de Direitos Humanos da Bahia e o governo federal, por meio da Secretaria Nacional de Juventude e da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. Ele recebeu a oferta de entrar no programa de proteção a testemunhas, mas recusou a proposta. “Não posso abandonar meu trabalho de militância e de articulação. Se entrasse nesse tipo de programa, seria silenciado para sempre.”

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Em tempos de “Fora Richa”, Paraná tem o Carnaval mais politizado da história

Nunca antes na história do Paraná houve um Carnaval tão politizado como este de 2015.
O governador Beto Richa (PSDB) e os deputados que compõem a base de sustentação do tucano na Assembleia Legislativa, a “Bancada do Camburão”, são os alvos preferenciais de foliões em todo o estado.
Em Londrina, professores da UEL (Universidade Estadual de Londrina) vão colocar na rua hoje à tarde o bloco “Pacote do Calote”.
Em Curitiba, o “Bloco do Camburão”, que consiste numa van transformada em carro alegórico de professores e funcionários de escolas públicas, acampados no Centro Cívico, desde o último dia 9, virou ponto de atração turística.
Educadores de Cornélio Procópio, no Norte Pioneiro, foram à avenida desfilar com faixas com a inscrição “Romanelli traíra”. O parlamentar, líder do governo Richa na Assembleia, abocanhou boa parte dos votos na cidade e na região.
Nos municípios de Foz do Iguaçu e Cascavel, no Oeste, os foliões também prometem levar ‘humor ácido’ às ruas contra deputados e o governador tucano. Os iguaçuenses criaram o bloco “Beto Esponja – Sugando o Paraná” e os cascavelenses garantem que vão esbanjar alegria na avenida esta tarde — com muita política, é claro.
A pressão dos paranaenses nos parlamentares, que se alinharam ao governador do PSDB no tratoraço, semana passada, pela aprovação do confisco de R$ 8 bilhões da poupança previdenciária do funcionalismo e desmonte dos serviços públicos, parece que vem surtindo efeito. Educadores de União da Vitória, por exemplo, contam que foram procurados por um “arrependido” deputado Hussein Bakri (PSC).
Some-se ao engajamento do funcionalismo público grevista nos desfiles carnavalescos mais politizados da história do Paraná, o 1º concurso de “Marchinha do Camburão” lançado pelo Blog do Esmael cujo resultado será conhecido na quinta-feira, dia 19.
Nunca é demais lembrar que, neste sábado, dia 21, às 14 horas, protestos simultâneos pelo impeachment de Beto Richa — ou Fora Beto Richa — acontecerão em Curitiba, Paranaguá e Cascavel.
Por Esmael Morais - blog.

Em defesa da Caixa Econômica

Por Deputada Federal Erika Kokay: A Caixa é o banco que está dialogando com os sonhos, com a esperança e a dor do povo brasileiro. Esta empresa só pode desenvolver os programas sociais porque nós elegemos em 2002 um operário que sabe a dor e a delicia de ser brasileiro. Nós elegemos Lula para transformar este país, impedir que a Caixa fosse privatizada, dizer que este país pode ser de todas e todos e ver o filho do trabalhador brasileiro nos bancos das universidades deste país. O candidato da oposição deveria ser claro com o povo brasileiro e dizer que pretende privatizar os bancos públicos, porque ele trabalha com a naturalização da pobreza e da hierarquização dos seres humanos. Facebook: https://www.facebook.com/ErikaKokay?fref=photo